MINAS GERAIS TEM QUEDA NO NÚMERO DE PROCESSOS DE ADOÇÃO DE CRIANÇAS E ADOLESCENTES

Minas Gerais tem acumulado queda vertiginosa no número de adoções, de acordo com dados do Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG). Até julho deste ano, foram concluídos 210 processos de adoção. Em 2019 foram 664 processos. Já em 2018 o número foi de 1.228.

Segundo a desembargadora Valéria Rodrigues Queiroz, superintendente da Infância e Juventude, a queda da adoção não é reflexo apenas da pandemia de covid-19. Na avaliação dela, também está por trás a queda do rendimento econômico.

“O fator econômico influencia muito na opção por ter filhos, sejam eles biológicos, ou filhos do coração, filhos afetivos. Eu acho que esse é um fator primordial que influencia a não procura pela adoção”, explica.

Outro fator, segundo Valéria, é a mudança de perfil dos jovens que optam por constituir uma família mais tardiamente. “Isso é um fator importante que mostra que a família brasileira está demorando para se formar. Hoje o homem com 30 anos ainda está dentro da sua casa, morando com os pais”, diz.

Contudo, os impactos da pandemia não podem ser relativizados “porque tanto as crianças quanto o poder judiciário entraram em fase de isolamento. O contato dessas crianças com os pretensos adotantes foi suspenso. É um dos fatores que diminui a conclusão de adoção”, conclui.

 

Fonte: Rádio Itatiaia (12/09/2020)

você pode gostar também More from author

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.