1ª SEMANA DE CONSCIENTIZAÇÃO E PREVENÇÃO À ALIENAÇÃO PARENTAL

De 22 a 27 de abril vai acontecer em São Paulo a primeira edição da Semana de Conscientização e Prevenção da Alienação Parental, instituída pela lei municipal 17.016 de 2018, de autoria da vereadora Adriana Ramalho. Confira a programação completa!

O projeto, aprovado no ano passado, foi uma ideia da Dra. Katia Boulos, que foi presidente da Comissão da Mulher Advogada da OAB São Paulo por dois mandatos e é diretora nacional de relações institucionais da Associação de Direito de Família e Sucessões.

Esses eventos têm o objetivo de informar, aumentar a consciência e promover o debate sobre a alienação parental. A Semana terá uma programação com pessoas que atuam nesse tema e que vai alcançar diferentes regiões da cidade, para democratizar o acesso a esse debate tão importante.
Serão palestras e rodas de conversa para promover trocas de experiências entre poder público, sociedade civil, instituições de ensino superior, ONGs, profissionais nas áreas de Direito, Psicologia, Pedagogia, Serviço Social e áreas afins.

A alienação parental é um dos temas mais delicados tratados pelo direito de família, considerando os efeitos psicológicos e emocionais que a prática desses atos pode provocar nas relações entre crianças e adolescentes e seus pais, avós e familiares. É toda interferência na formação psicológica da criança ou adolescente promovida por um dos genitores para que se afaste do outro genitor.

Pode se dar de diferentes maneiras, como proibir que o pai ou mãe veja a criança, fazer chantagens, manipular, influenciar a criança ou adolescente contra o pai/mãe e familiares, dificultar visitas, omitir informações sobre os filhos, apresentar falsas denúncias para dificultar a convivência, entre outras atitudes que prejudicam ou impedem a relação do filho com um dos genitores e familiares.

As consequências desses atos podem marcar aquela criança ou adolescente pelo resto da vida. Envolvem culpa, ansiedade, depressão infantil, agressividade, e quando adultas, as vítimas de alienação parental apresentam distúrbios psicológicos como depressão, ansiedade e pânico, uso abusivo de drogas e álcool, não conseguir estabelecer relacionamentos afetivos saudáveis, entre outros.

É impossível saber ao certo o número de crianças e adolescentes vítimas de alienação parental, já que os processos correm em segredo de Justiça. Mas segundo o Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo, o número de processos por alienação parental chegou a 2.365 em 2017, um aumento de 5,5% em relação a 2016.

Promover o debate e a troca de experiências para conscientizar a sociedade e qualificar os profissionais que lidam com esses casos é uma forma de proteger nossas crianças e adolescentes. E esse é o objetivo da Semana de Conscientização e Prevenção da Alienação Parental.

 

Programação completa

 

 

 

você pode gostar também More from author

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.